Prestes a completar 50 anos em 2020, o Santuário Dom Bosco, une fé e arquitetura em um só lugar. Localizado na área central do Plano Piloto, na 702 Sul, é a segunda igreja mais conhecida de Brasília, e usada frequentemente como cartão-postal da cidade. E não é para menos, são mais de  80 colunas de 16 metros cobertos de vitrais que tornam o lugar um espetáculo visual a parte. O Santuário foi idealizado e projetado pelo arquiteto Carlos Alberto Naves e fabricado pelo belga Hubert Van Doorne, que trouxe um conceito que ultrapassa o comum, e uma beleza celestial que é facilmente observada assim que se entra na igreja. Os vitrais, que foram decorados com 12 tons de azul, dão uma sensação celestial de estar estar sob um céu estrelado.  Em cada um dos quatro ângulos do Santuário, é possível observar uma coluna de vitrais róseos que complementam a leveza e a beleza do local. Por dentro, visitantes relatam a semelhança do Santuário com as basílicas orientais, por conta combinação róseo e azul dos vitrais e com o ambiente místico e energizante.

À noite, o Santuário vira um espetáculo de iluminação. No meio do teto, há um grande lustre de 3,5 m de altura, formado por 7.400 peças de vidro murano, pesando aproximadamente 3.000 kg e sendo suspenso apenas por seis cabos de aço capazes se sustentar ao total, 6 toneladas. O lustre foi projetado pelo arquiteto brasileiro, Alvimar Moreira, sendo a única iluminação do templo quando escurece. De acordo com os fiéis, o lustre simboliza Jesus como sendo a luz do mundo.

O nome do Santuário também não foi desproposital, construído por salesianos, o nome é uma homenagem a Dom Bosco, que junto com Nossa Senhora Aparecida, foi agraciado como padroeiro da cidade de Brasília. Além disso, o Santuário Dom Bosco foi edificado em uma região considerada por muitos como mística, que recebe ao longo do ano, milhares de fiéis de várias partes do Brasil e do mundo, o que o torna também um templo de peregrinações.

Em 2008, a Bureau Internacional de Capitais Culturais (IBOCC), sediada em Barcelona, reconheceu e elegeu o Santuário Dom Bosco como uma das setes maravilhas de Brasília. Para muitos, o Santuário atua como um inspirador e motivador na evangelização salesiana.

Porque visitar o Santuário Dom Bosco?

Além de apresentar toda uma espiritualidade, o Santuário de Dom Bosco foi pensado e construído com maestria em cada detalhe. Nas portas, é possível encontrar uma escultura em bronze que divide-se em duas, uma em cada ponta da porta, completando-se ao fechar. Ao total são doze portas de bronze de autoria do artista Gianfrancesco Cerri. Um detalhe único! Os vitrais também transformam o Santuário em uma das igrejas mais belas do Brasil.

No subsolo do Santuário Dom Bosco, há um pequeno espaço de oração chamado Cripta, que foi inaugurado há aproximadamente dois anos. Com a inauguração da Cripta, a Paróquia Dom Bosco foi elevada de nível e finalmente se tornou um Santuário. Na Cripta encontra-se um local que abriga uma estátua em tamanhos reais do próprio Dom Bosco. A estátua possui um pedaço de osso do braço direito do santo, o mesmo que ele usava para abençoar os fiéis. Além da Cripta, há no subsolo também três salões destinados a cursos pastorais, reuniões e recepções festivas, além da sacristia, arquivo paroquial, escritório e capela. Os três salões destinados a cursos pastorais são divididos em cores, um azul, com 380 m², um ver e outro rosa com 249 m² cada. Podem funcionar separadamente ou interligados.  

Quando visitar?

Durante todo o ano é possível visitar o Santuário, que se mantém aberto diariamente para visitação das 7h às 19h. Caso o interesse seja participar de uma das celebrações que acontecem no Santuário, como as Missas, deve-se chegar aos horários. As Missas ocorrem aos sábados em dois horários, às 7h e às 18h, e aos domingos com maiores opções, às 8h, 11h, 18h e às 19h30. Em datas comemorativas, é possível encontrar peregrinos ou entusiastas celebrando junto ao Santuário.

Arquitetura do Santuário

Pensado de forma genuína, não existe outro lugar religioso no Brasil com um designer e arquitetura tão exclusiva e encantadora. São vitrais em degradê, estátuas em mármore que refletem a vida familiar do Dom Bosco, portas em bronze que se abrem como páginas de um livro, uma escultura de Cristo crucificado em mármore rosa no altar, com um crucifixo esculpido pelo artista Gotfredo Traller, feito em cedro maciço de 8 metros de altura e 4,3 metro de envergadura. Um verdadeiro encontro de arte com espiritualidade.

Importância do Santuário de Dom Bosco 

São João Bosco, conhecido como Dom Bosco, é tão importante para a capital federal que ocupa o posto de padroeiro da cidade. Além disso, também é visto como protetor dos jovens e adolescentes. O posto de padroeiro da cidade, veio pela profetização de Dom Bosco sobre a fundação de Brasília. O padroeiro sonhou que sobrevoada um longa enseada, e ouvia uma voz repetir: “Quando se vier cavar as minas escondidas no meio destes montes, aparecerá aqui a terra prometida que vai jorrar leite e mel. Será uma riqueza inconcebível.” Nesta região foi construída Brasília, cuja primeira obra foi uma ermida em sua homenagem, a Capela Ermida Dom Bosco, um belo lugar para apreciar o nascer e o pôr do sol, às margens do Lago Paranoá, ponto turístico da capital.

Não é à toa o potencial turístico do espaço religioso, por conta disso, párocos da região trabalham em conjunto com a organizações da sociedade civil e entidades como o Sebrae, para amplificar ainda mais o turismo na região. As ações contam em desenvolver e apoiar o turismo religioso, com guias especializados e encontros com os visitantes, além de fornecer subsídios para os peregrinos que vão até o Santuário.

Caso vá a Brasília e não for ao Santuário de Dom Bosco, a sua viagem não terá sido completa. Mesmo para os não religiosos o templo proporciona uma experiência deslumbrante e única. Hoje temos promoções em tour privativo com guia turístico em 8 horas: quero dar uma olhadinha. Aproveite a leitura e descubra 5 curiosidade sobre a Catedral Metropolitana de Brasília.