Com certeza você já deve ter ouvido falar do Congresso Nacional, certo? Afinal, o prédio é sempre noticiado em jornais. Além da importância no cenário político, o local é um ponto turístico importante de Brasília. Pela relevância do monumento, você deve conhecer um pouco mais sobre o espaço antes de visitá-lo.

Para ajudar você a entender melhor sobre o assunto, preparamos este post. Aqui você confere a história, dicas para o passeio e características da “casa das leis do Brasil”. Vamos começar?

O Congresso Nacional

O Palácio em que funciona o Congresso Nacional foi projetado por Oscar Niemeyer em 1958. A organização do edifício impressiona e ele é considerado o cartão-postal de Brasília. A obra foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 2007, no centésimo aniversário do arquiteto que o desenhou.

O conjunto arquitetônico é formado por um prédio com a forma da letra “H”. Compondo o cenário, ficam as duas cúpulas. A Câmara dos Deputados fica na estrutura voltada para cima. Já o Senado encontra-se na forma voltada para baixo.

O Congresso Nacional é o local onde atua o Poder Legislativo. Nele, como já falamos, encontram-se a Câmara dos Deputados Federais e dos Senadores da República. Os “representantes do povo” são escolhidos por meio do voto direto. As diferenças ficam por conta do tempo de mandato: os deputados ficam quatro no poder, enquanto os senadores, oito anos.

Aos congressistas cabe fiscalizar e elaborar as leis do nosso país, além de outros atributos:

  • permitir o Presidente da República em atos militares; 
  • aprovar o estado de defesa ou de sítio em casos de necessidade;
  • determinar planos de desenvolvimento para o Brasil ou Estados, com autorização do Presidente;
  • supervisionar a realização das regras de funcionamento do Congresso.

Dicas para visitar o Congresso Nacional

O Congresso Nacional fica localizado no extremo leste do Eixo Monumental. Para ter um passeio sem problemas, verifique as nossas dicas abaixo.

Entrada para visitação

Há dois tipos de entrada para visitação. Para os que vão nos dias da semana, devem se dirigir pelo Salão Branco. Nos feriados, sábado e domingo, o acesso é na frente do Palácio, pela rampa.

Agendamento

O Congresso nacional é aberto todos os dias para visitação. Sempre com um guia e com cerca de 50 minutos de duração. No entanto, é importante ficar atento ao agendamento para o tour no ponto turístico. A dica é reservar com antecedência, principalmente para as pessoas com necessidades especiais. Dessa forma, há tempo suficiente para providenciar o suporte durante o passeio, como é o caso de atendimento em Libras.

Ainda é necessário agendar previamente para as visitas de terças, quartas e quintas-feiras, sem a necessidade dos demais dias da semana. Da mesma forma, se for com um grupo que ultrapasse 15 pessoas e que precisem de guia que fale outro idioma.

Regras de vestimenta

É bom ter cuidado sobre o que vestir ao ir no Congresso Nacional. Há uma regra que proíbe a entrada de pessoas com certos tipos de roupas. Entre os trajes vetados estão regatas, shorts, bermudas, chinelos e minissaias. Para crianças com menos de 12 anos, o uso de qualquer tipo de roupa é livre.

Repartições para conhecer no Congresso Nacional 

Salão Branco

Além de ser uma das entradas ao prédio, é também conhecida como Chapelaria. Já foi sede de exposições e importantes eventos. Ao fundo da sala, a obra “Alumbramento” da artista plástica Marianne Peretti, decora o ambiente. O painel é feito em estrutura de ferro e vidro, datado de 1978. 

Salão Negro

O Salão Negro faz parte da entrada solene do Palácio do Congresso Nacional. É onde são recepcionados os visitantes e acontecem as cerimônias e exposições. O espaço recebeu esse nome por ter o chão de pedra escura, igual ao granito. 

Salão Nobre da Câmara

É nessa sala que o presidente da Câmara recebe autoridades em visita oficial ao país. Decorando o local, há obras de arte de vários artistas. Entre elas se destacam os vitrais de Peretti e o painel do artista plástico Athos Bulcão. 

Salão Verde

O Salão Verde dá acesso à Câmara dos Deputados. Nesse local vemos os parlamentares sendo entrevistadas pelos jornalistas. É onde também começa a visita ao Congresso nos fins de semana e feriado. 

O recinto é ornamentado pelo painel de azulejos de Athos Bulcão, pelo painel de Di Cavalcanti e por uma escultura de anjo de Alfredo Ceschiatti. Esta última obra é semelhante a da Catedral de Brasília. Você ainda tem a oportunidade de ver a maquete do edifício e os presentes recebidos pelos políticos em viagens oficiais. 

Salão Azul

O Salão Azul tem esse nome devido à cor de seu tapete. Os turistas podem tirar fotos do momento ao lado das bandeiras dos Estados. É no espaço que fica a entrada principal para o Senado Federal e o gabinete de trabalho do presidente da casa.

Plenário do Senado

No Plenário do Senado, cada um dos 81 Senadores possui assento fixo em ordem alfabética, conforme o Estado que representa. O tapete azul tem os desenhos da Catedral, do Congresso e da Bandeira Nacional. Ao lado, em uma parede fica o busto de Rui Barbosa, que é o patrono do Senado. No teto, a obra de Athos Bulcão ajuda na iluminação e na acústica do ambiente.

Plenário da Câmara

Ao contrário do Plenário do Senado, aqui não há lugares para todos os deputados. Para se ter uma ideia, são apenas 396 assentos para os 513 parlamentares. A preferência fica para os que lideram os partidos. Um fato curioso é ficarem próximos à Mesa Diretora um crucifixo na parede e uma Bíblia. Dizem que motivo é somente decorativo, já que o Estado é laico e não deve oficializar nenhuma religião.

Ao término do roteiro, os turistas recebem um cartão-postal do Congresso. Você pode, inclusive, enviá-lo de forma gratuita para qualquer lugar do Brasil. É uma forma bem bacana de mostrar a um amigo o passeio que fez pela capital federal.

Por fim, destacamos a importância de já estar acompanhado de um guia turístico para melhor aproveitar a visita ao Congresso Nacional. Assim, você consegue tirar dúvidas que surgirem durante o passeio e não perder nenhum detalhe. 

Agora que já aprendeu sobre o Congresso Nacional, conheça também a história e atrações da Praça dos Três Poderes. Até a próxima!